Professor mostra como usar ChatGPT na sala de aula

Publicidade

Usar o ChatGPT em sala de aula é uma novidade e um diferencial que pode chamar a atenção dos alunos. O chatbot que usa a Inteligência Artificial (IA) foi criado em novembro de 2022, mas segue em alta.

O professor de Geografia do Colégio e Curso Oficina do Estudante, Luis Felipe Valle, testou a ferramenta em uma aula de Atualidades, da turma do 3º ano do Ensino Médio. Na ocasião, o ChatGPT foi usado para testar a capacidade da IA diante de problemas relacionados à Economia.

Segundo Luis Felipe, a turma gostou bastante, principalmente pela sensação de que a Inteligência Artificial parecia outra ‘pessoa’ participante no diálogo entre os alunos e ele, o professor.

“Embora já esteja presente em sites de buscas ou assistentes virtuais, a tecnologia ChatGPT ainda é apresentada como novidade, vista por alguns como ‘sobre-humana’ ou ‘onisciente’, comenta.

ChatGPT na sala de aula

O professor conta que resolveu usar o ChatGPT na sala de aula porque a ferramenta está em alta em vários segmentos, inclusive na educação. 

“Como o ChatGPT estava aparecendo com frequência nos canais de notícias, resolvi colocá-lo ‘à prova’, para ver se era capaz de responder perguntas complexas e, talvez, indicar soluções para problemas como desemprego estrutural, concentração de renda, precarização do trabalho e aumento da fome e da pobreza nos últimos anos”


Luis Felipe Valle

Norrmalmente, durante as aulas, o professor costuma fazer perguntas aos alunos para provocar e estimular o pensamento crítico. Mas, nessa aula com o ChatGPT, ele resolveu usar a ferramente para fazer os questionamentos. 

Luis Felipe lembra que, ao realizar perguntas ao ChatGPT, não houve ‘resposta mágica’ ou ‘fórmula milagrosa’ revelada, uma vez que o próprio simulador destacou, em suas respostas, que debater temas relacionados à economia, política e sociedade exigem uma análise interdisciplinar, considerando diversos contextos, a partir de diferentes perspectivas.

“A Inteligência Artificial (IA) pode produzir interpretações subjetivas, que precisam ser analisadas considerando princípios democráticos, como: proteção à vida e garantia de direitos básicos como dignidade, liberdade e justiça social”, salienta.

Professor Luis Felipe Valle

Não pare agora… Tem mais depois da publicidade 😉

O professor de geografia analisa que o uso excessivo do ChatGPT (ou de qualquer outra ferramenta de IA) pode fazer com que a capacidade de interpretação, análise crítico-reflexiva e criatividade não sejam estimuladas e desenvolvidas pelo usuário.

Na opinião do profissional, não se deve ter medo ou criar tabus diante da utilização de novas tecnologias, mas, conforme ele ressalta, seu uso deve ser feito de forma consciente e responsável.

“Ao usar do ChatGPT na sala de aula, é preciso ter atenção porque, quando a ferramenta não sabe a resposta para uma pergunta, ela pode produzir respostas aleatórias, sem correspondência com fatos científicos, ou se tornar um ‘gerador de lero-lero’ ao escrever respostas que dizem nada”


Luis Felipe Valle

O que é ChatGPT?

Idelfranio Moreira, homem branco que está sorrindo
Idelfranio Moreira, Gerente de Ensino e Inovações Educacionais na Plataforma de Educação SAS e professor de Física. 

Crédito: Divulgação

O ChatGPT consiste em um chatbot, um algoritmo pré-treinado que é capaz de a partir de uma base de dados, interpretar, sumarizar e gerar novos conteúdos, explica Idelfranio Moreira, gerente de Ensino e Inovações Educacionais da Plataforma de Educação SAS.

O diferencial da tecnologia é que é possível extrair informações dela a partir de uma linguagem natural, como em uma conversa entre seres humanos. O ChatGPT pode fazer diversas tarefas, tais como:

  • Redigir textos personalizados;

  • Desenvolver linhas de códigos de programação;

  • Conversação natural com os usuários;

  • Resposta a diferentes tipos de perguntas e curiosidades;

  • Tradução de textos de idiomas diferentes;

  • Conselhos e dicas diversas;

  • Organização da viagens, trabalho e planejamentos no geral.

Leia também: ChatGPT na educação – especialista comenta sobre a inteligência artificial no campo educacional