Ouro do lixo eletrnico recuperado com esponja derivada do leite

Publicidade

Meio ambiente

Redação do Site Inovação Tecnológica – 12/03/2024

Pepitas de ouro obtida de placas-me de computadores – a maior delas tem cerca de cinco milmetros de largura.
(Imagem: Alan Kovacevic/ETH Zurich)

Transformando lixo em ouro

Se no realizamos o sonho dos alquimistas, de transformar chumbo em ouro, ao menos agora j conseguimos transformar lixo em ouro.

Mohammad Peydayesh e colegas do Instituto Federal de Tecnologia de Zurique desenvolveram uma tcnica para retirar o ouro presente no lixo eletrnico – os contatos dos processadores e das memrias, por exemplo, so recobertos com ouro.

O lixo eletrnico contm uma variedade de metais valiosos, incluindo alumnio, cobre, cobalto, prata e algumas quantidades interessantes de ouro. Contudo, os mtodos de recuperao concebidos at hoje consomem muita energia, frequentemente requerem a utilizao de produtos qumicos altamente txicos, e no conseguem recuperar todo o ouro.

J o mtodo desenvolvido agora muito eficiente, de baixo custo e, acima de tudo, muito mais sustentvel: O ouro retirado do lixo eletrnico usando uma esponja feita de matriz proteica.

Para fabricar a esponja, Peydayesh desnaturou protenas de soro de leite sob condies cidas e altas temperaturas, de modo que elas se agregaram em nanofibrilas de protenas, formando um gel. Depois de seco o gel, a esponja foi feita com essas fibrilas de protenas.

Ouro do lixo eletr

Como o ouro recuperado: Os ons de ouro aderem esponja de fibrilas proteicas.
(Imagem: Peydayesh et al. – 10.1002/adma.202310642)

Recuperao de ouro do lixo eletrnico

Para recuperar ouro em sua demonstrao em escala de laboratrio, Peydayesh recolheu 20 placas-me de computadores antigos, extraiu as peas metlicas da matriz fenlica (a placa propriamente dita) e dissolveu essas partes metlicas em banho cido, para ionizar os metais.

Bastou ento colocar a esponja de fibra proteica na soluo de ons metlicos que os ons de ouro aderiram s fibras proteicas. Outros ons metlicos tambm aderem s fibras, mas os ons de ouro fazem isso com muito mais eficincia.

Como nesse caso o que interessava era a “sujeira”, era necessrio lavar a bucha. O processo tambm simples, bastando aquecer a esponja, o que reduziu os ons de ouro a flocos, que foram derretidos para formar uma pepita de ouro.

As 20 placas-me de computadores renderam uma pepita de cerca de 450 miligramas, com 91% de ouro (o restante era cobre), o que corresponde a 22 quilates.

A nova tecnologia comercialmente vivel, com os custos de aquisio das matrias-primas somados aos custos energticos de todo o processo sendo cerca de 50 vezes menores do que o valor do ouro recuperado. Agora a equipe pretende passar o processo da escala de laboratrio para a escala industrial.

Bibliografia:

Artigo: Gold Recovery from E-Waste by Food-Waste Amyloid Aerogels
Autores: Mohammad Peydayesh, Enrico Boschi, Felix Donat, Raffaele Mezzenga
Revista: Advanced Materials
DOI: 10.1002/adma.202310642

Seguir Site Inovação Tecnológica no Google Notícias

Outras notcias sobre:

Mais tópicos