Caldeus: quem foram, história, características

Publicidade

Os caldeus foram um antigo povo semita que habitou a Mesopotâmia durante o primeiro milênio a.C. e se destacou sob o Império Neobabilônico. Sua sociedade era hierárquica, sua economia era baseada na agricultura e comércio, sua religião era politeísta, com ênfase na astrologia, e eles contribuíram para a cultura com avanços em astronomia e matemática baseada em 60. O Império Caldeu, liderado por Nabucodonosor II, que reinou de 605-562 a.C., conquistou Jerusalém e reconstruiu a Babilônia, que havia sido construída para ser a capital do Império Babilônico, o império dos amoritas.

Leia também: Acádios — um dos primeiros povos a se estabelecer na Mesopotâmia

Resumo sobre os caldeus

  • Os caldeus foram um povo semita que habitou a Mesopotâmia durante o primeiro milênio a.C.
  • Tornaram-se proeminentes durante o Império Neobabilônico, caracterizando-se por serem uma sociedade hierárquica.
  • Localizados na região sul da Mesopotâmia, incluindo a Babilônia (atual Iraque), os caldeus eram conhecidos pela hierarquia de sua sociedade e economia baseada em agricultura e comércio.
  • Sua religião era politeísta, com ênfase em astrologia, enquanto sua cultura deixou contribuições notáveis, como avanços em astronomia e matemática baseada em 60.
  • O Império Caldeu, liderado por Nabucodonosor II (605-562 a.C.), conquistou Jerusalém e reconstruiu a Babilônia.
  • Curiosidades sobre os caldeus incluem a história da Torre de Babel na Bíblia.

Quem foram os caldeus?

Os caldeus foram um antigo povo semita que se desenvolveu na região da Mesopotâmia, principalmente durante o primeiro milênio a.C. Sua origem remonta à região sul da Mesopotâmia, na Babilônia, e eles são mais conhecidos por estabelecer o Império Neobabilônico, sob o reinado do rei Nabucodonosor II, por volta de 605-562 a.C.

Não pare agora… Tem mais depois da publicidade 😉

Localização dos caldeus

Os caldeus se localizavam na região da Mesopotâmia, uma área do Oriente Médio que englobava partes do que hoje são o sul do Iraque, o nordeste da Síria e o sudeste da Turquia. Atualmente, a maior parte dessa região está situada no Iraque, com algumas áreas estendendo-se para partes da Síria e da Turquia, embora as fronteiras tenham mudado consideravelmente ao longo dos séculos.

História e origem dos caldeus

A origem histórica dos caldeus ocorreu na região da Mesopotâmia, cerca de 1000 a.C., quando esse povo semita se estabeleceu na região sul da Babilônia, sucedendo os amoritas. Eles floresceram principalmente durante o primeiro milênio a.C., marcando a história mesopotâmica com a formação do Império Neobabilônico, também chamado de Segundo Império Babilônico.

Mapa que mostra, em azul marinho, a extensão do Império Neobabilônico, formado pelos caldeus. (2)

O reinado de Nabucodonosor II, que ocorreu aproximadamente entre 605 a.C. e 562 a.C., foi um período crucial para os caldeus. Sob sua liderança, a Babilônia atingiu seu apogeu e conquistou Jerusalém e o Reino de Judá em 586 a.C., destruindo o Templo de Salomão e exilando uma parte significativa da população judaica. Após a conquista de Judá, muitos hebreus foram escravizados e levados para o cativeiro na Babilônia, um evento que ficou conhecido como o Cativeiro da Babilônia, que durou até a conquista persa.

Em 539 a.C., o Império Persa liderado por Ciro, o Grande, conquistou a Babilônia, pondo fim ao Império Neobabilônico. O Império Persa iniciou uma política de tolerância religiosa que permitiu a libertação dos judeus e a autorização para retornar a Judá. Esse período, conhecido como o retorno dos exilados, marcou o início de uma nova fase na história dos judeus na região.

Importante: Construída para ser a capital do Império Babilônico — o império dos amoritas (ou babilônios) —, a Babilônia foi reconstruída por Nabucodonosor II para ser a capital do Império Neobabilônico, o Império Caldeu, chamado também de Segundo Império Babilônico.

Principais características dos caldeus

Mapa neobabilônico do mundo, mostrando a Babilônia, cidade habitada pelos caldeus, como centro.
Mapa neobabilônico do mundo, mostrando a Babilônia como centro.

→ Sociedade dos caldeus

A sociedade dos caldeus, que floresceu na antiga Mesopotâmia, era estratificada e hierarquizada. No topo da hierarquia estava o rei, muitas vezes associado a divindades e responsável pela administração do império e pela defesa militar. Abaixo do rei, havia uma classe de sacerdotes que desempenhava um papel crucial na religião e na interpretação dos presságios, dado o alto valor atribuído à astrologia e à adivinhação.

A sociedade também incluía uma classe aristocrática que detinha terras e poder político considerável. Os agricultores e artesãos constituíam a maioria da população, enquanto os escravos desempenhavam papéis subordinados na sociedade.

→ Economia dos caldeus

A economia dos caldeus era predominantemente agrária e dependia das férteis terras da Mesopotâmia. Eles praticavam a agricultura de regadio ou irrigação, dependente dos canais de irrigação construídos a partir das águas dos rios perenes Tigre e Eufrates, cultivando uma variedade de culturas, como cevada, trigo, legumes e frutas.

Além da agricultura, o comércio também era uma parte essencial da economia caldeia, com as rotas comerciais conectando a Mesopotâmia a diversas regiões vizinhas, como a Índia, o Irã e o Mediterrâneo. A metalurgia e a manufatura de cerâmica também eram atividades importantes. A moeda, geralmente em forma de prata, desempenhava um papel significativo nas transações comerciais, e os caldeus eram conhecidos por seu sistema de pesos e medidas padronizados.

→ Religião dos caldeus

A religião dos caldeus era politeísta e profundamente influenciada pela tradição mesopotâmica. Eles cultuavam uma variedade de deuses e deusas, muitos dos quais tinham seus próprios templos e sacerdotes dedicados. Entre os deuses mais importantes estava Marduque, o deus da Babilônia e considerado o padroeiro da cidade, cujo culto ganhou destaque sob o Império Neobabilônico.

Gravura do deus Marduque, um dos deuses mais importantes para os caldeus.
Marduque era um dos deuses mais importantes para os caldeus.

Os caldeus atribuíam grande importância à astrologia e à adivinhação, acreditando que os movimentos celestiais e os sinais divinos podiam influenciar os assuntos humanos. Os sacerdotes desempenhavam um papel fundamental na sociedade, interpretando os presságios e conduzindo rituais religiosos, muitas vezes associados a festivais e cerimônias elaboradas. O zodíaco caldeu, um sistema de adivinhação baseado nos movimentos planetários, também era uma parte essencial da sua prática religiosa.

→ Cultura dos caldeus

A cultura dos caldeus foi influenciada por uma série de povos da Mesopotâmia e desenvolveu características distintas próprias. Uma contribuição exclusiva dos caldeus foi a introdução de sistemas matemáticos baseados no número 60, que influenciaram a matemática posterior. Além disso, produziram diversas contribuições na área da astronomia, avançando na compreensão dos movimentos planetários e desenvolvendo um calendário lunar-solar mais preciso. Os caldeus também tiveram papel central na astrologia e adivinhação em sua cultura, sendo pioneiros nesses campos.

Suas contribuições arquitetônicas incluem a reconstrução da cidade de Babilônia e a construção dos famosos Jardins Suspensos da Babilônia. A escrita cuneiforme, de criação suméria e adotada por todos os povos mesopotâmicos, continuou sendo uma parte significativa de sua cultura, com a preservação e produção de textos importantes em bibliotecas da época.

Império Caldeu e Nabucodonosor II

Ilustração de Nabucodonosor II, o imperador que esteve à frente do império dos caldeus.
Nabucodonosor esteve à frente do Império Caldeu.

Nabucodonosor II foi um famoso imperador caldeu que reinou aproximadamente de 605 a.C. a 562 a.C., à frente do Império Neobabilônico. Seu reinado foi marcado por várias realizações notáveis: em 597 a.C., ele capturou Jerusalém, levando uma parte significativa da população judaica para o exílio babilônico, um evento crucial na história judaica conhecido como o Primeiro Cativeiro da Babilônia.

Representação gráfica dos Jardins Suspensos da Babilônia, construídos por Nabucodonosor II, o imperador dos caldeus.
Representação gráfica dos Jardins Suspensos da Babilônia, construídos por Nabucodonosor II.

Em 586 a.C., ele conquistou novamente Jerusalém, destruindo o Templo de Salomão. Nabucodonosor II também é famoso por suas realizações arquitetônicas, incluindo a reconstrução da cidade da Babilônia e a construção dos impressionantes Jardins Suspensos da Babilônia. No entanto, sua morte exata não está claramente registrada na história, e os detalhes de seu falecimento permanecem incertos, com algumas fontes indicando que ele teria reinado até 562 a.C.

Curiosidades sobre os caldeus

Representação gráfica da Torre de Babel, cuja história é frequentemente associada aos caldeus.
A história da Torre de Babel é frequentemente associada aos caldeus.

  • Contribuições astronômicas e matemáticas: os caldeus eram conhecidos por suas habilidades em astronomia e matemática. Eles desenvolveram um sistema de numeração baseado em 60, que influenciou sistemas posteriores, como o sistema de 60 segundos em um minuto e 60 minutos em uma hora. Além disso, fizeram importantes observações astronômicas, incluindo o registro de eclipses e aperfeiçoamentos no calendário lunar-solar. Entre as datas notáveis, a observação do cometa Halley foi registrada em 164 a.C.
  • Torre de Babel na literatura bíblica: a história da Torre de Babel, mencionada na Bíblia em Gênesis 11:1-9, é frequentemente associada aos caldeus. Embora seja uma narrativa religiosa, essa história é uma das mais famosas e influentes da cultura ocidental, descrevendo a confusão de línguas e a dispersão da humanidade.
  • Especialização em astrologia e adivinhação: os caldeus tinham uma profunda crença na astrologia e na adivinhação, considerando os movimentos planetários e os sinais celestes como prenúncios importantes. Eles eram frequentemente consultados para interpretar esses sinais e orientar decisões políticas e pessoais.

Veja também: Assírios — outro povo que se estabeleceu na região da Mesopotâmia

Exercícios resolvidos sobre os caldeus

Questão 1

Os caldeus, um antigo povo semita, desempenharam um papel significativo na história da Mesopotâmia. Durante o período em que o Império Caldeu estava no auge, qual figura histórica destacada liderou esse império e deixou um impacto duradouro na região?

A) Hamurabi.

B) Gilgamesh.

C) Nabucodonosor II.

D) Assurbanípal.

E) Xerxes I.

Resolução:

Alternativa C.

Nabucodonosor II foi o líder proeminente do Império Caldeu, conhecido por sua conquista de Jerusalém e pela construção da grandiosa cidade de Babilônia, deixando uma marca duradoura na história da Mesopotâmia.

Questão 2

Os caldeus, habitantes da Mesopotâmia, fizeram notáveis contribuições culturais que influenciaram áreas como astronomia e matemática. Um de seus legados mais significativos foi o desenvolvimento de um sistema de numeração baseado em:

A) 10.

B) 60.

C) 100.

D) 20.

E) 50.

Resolução:

Alternativa B.

Os caldeus desenvolveram um sistema de numeração baseado em 60, que influenciou sistemas posteriores e ainda é notável em nossa medição do tempo, com 60 segundos em um minuto e 60 minutos em uma hora.

Créditos de imagem

(1)  Jaroslav Moravcik / Shutterstock

(2)  Ichthyovenator / Shutterstock

Fontes

LIVERANI, Mario. Antigo Oriente. São Paulo: EDUSP, 2014

REDE, Marcelo. A Mesopotâmia. São Paulo: Saraiva, 2014.